Câmara aprova MPs da greve dos caminhoneiros; Nubank acerta parceria com Cabify e outras notícias

(Foto: REUTERS/Rodolfo Buhrer)
(Foto: REUTERS/Rodolfo Buhrer)



Boletim Diário do LinkedIn
 
As notícias mais importantes do momento, selecionadas pelos editores do LinkedIn. Participe da conversa nos comentários abaixo.

Câmara aprova MPs que governo negociou com caminhoneiros para acabar com paralisações. Segundo uma das medidas provisórias, os motoristas de caminhão estão isentos de pedágio sobre eixo suspenso quando circularem sem carga. A outra garante que parte dos fretes da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) seja reservada para autônomos ou cooperativas. Os 30% do serviço de transporte de grãos destinadas às associações de transportadores autônomos seriam contratados sem licitação, segundo a MP. As propostas precisam agora passar pelo Senado, antes de seguir para a sanção do presidente Michel Temer.

Nubank anuncia parceria com o app de transportes Cabify. Clientes que usarem o cartão da fintech para pagar as corridas do aplicativo agora podem ter descontos. Com um detalhe: é preciso ser usuário pagante do programa de fidelidade do Nubank, o "Rewards". Cada R$ 1 gasto com o Cabify equivale a dois pontos no programa. Com 130 pontos acumulados, o cliente terá R$1 "apagado" da sua fatura. O Nubank anunciou parcerias similares com o app de delivery Rappi em junho e com o site de compra e venda de passagens aéreas MaxMilhas em janeiro.

No Brasil, 3 a cada 10 professores precisam de renda extra para pagar as contas. A conclusão está publicada com a pesquisa Profissão Docente, um levantamento feito na Educação Básica pelo Todos pela Educação, em parceria com Itaú Social e Ibope Inteligência, entre os março e maio deste ano. Segundo o estudo, 29% dos professores exercem uma segunda atividade para complementar a renda. A pesquisa ainda mostra que 62% dos docentes querem aumento salarial, 64% esperam a restauração da autoridade e do respeito frente à comunidade escolar, e 69% desejam formação continuada para poderem exercer o ofício de uma maneira mais eficaz. Quase metade (49%) não recomenda a profissão para os mais jovens.

Anac autoriza companhia aérea de baixo custo a fazer voos entre Brasil e Europa. A Norwegian Air, terceira maior empresa aérea europeia de baixo custo — as chamadas "low cost" — recebeu sinal verde para operar no país. Com a autorização da Agência Nacional de Aviação Civil, a companhia poderá agora registrar as rotas que pretende fazer e comercializar bilhetes. A expectativa do mercado aéreo é que a estreia da empresa norueguesa seja com um voo entre Londres e São Paulo ou entre Londres e Rio de Janeiro. O preço das passagens comercializadas pela Norwegian Air no Brasil ainda não está definido.

Para cobrir prejuízo do setor elétrico, consumidores podem pagar R$ 1,4 bi a mais. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) irá abrir audiência pública para discutir uma proposta de revisão do orçamento de 2018 da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE). A proposta prevê um aumento de R$ 1,446 bilhão nas cotas anuais a serem pagas pelas concessionárias de distribuição de energia elétrica. Na prática, esses recursos serão acrescidos na conta dos consumidores. O debate foi aberto após a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), gestora da CDE, informar que o orçamento já aprovado, de R$ 18,8 bilhões, não será suficiente para bancar as despesas do fundo.

Ideia do dia: quem disse que é preciso trabalhar 40 horas semanais (ou mais) para gerar negócios lucrativos? Flávio Benetti, sócio-fundador da agência de comunicação BoasNovas, afirma que as jornadas poderiam ser mais curtas sem prejuízo da produtividade nas empresas. Além de deixar os funcionários menos estressados e mais criativos, a mudança ajudaria a economizar recursos:
“O número de horas dedicadas à labuta (…) não é (…) um fator decisivo sobre a eficiência. (…) Além disso, jornadas reduzidas ajudam na redução de energia elétrica, água, trânsito, entre outros, e possibilitam a criação de espaços compartilhados, que podem ser ocupados por (...) diferentes empresas”

Comentários