Acordo entre EUA e União Europeia ameaça Mercosul, Justiça do Trabalho nega garantia de emprego na Embraer/Boeing e outras notícias



(Foto: REUTERS/Roosevelt Cassio)
As notícias mais importantes do momento, selecionadas pelos editores do LinkedIn. Participe da conversa nos comentários abaixo.

Estados Unidos e União Europeia evitam nova guerra comercial — e ameaçam o Mercosul. Donald Trump e Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia, chegaram a um acordo para fugir das disputas comerciais entre americanos e europeus. A UE concordou em trabalhar conjuntamente para zerar tarifas, barreiras e subsídios a produtos, excluindo as de automóveis, enquanto estiverem negociando. Além disso, a UE comprometeu-se a comprar mais soja dos americanos. Nas últimas seis safras, o Brasil foi o principal fornecedor de soja para os europeus. Além disso, especialistas ouvidos pela Folha de S. Paulo temem que o acordo torne ainda mais lenta a negociação entre Mercosul e UE.

Justiça do Trabalho não condiciona acordo Boeing/Embraer à preservação de empregos. O Ministério Público do Trabalho entrou com a ação depois da instauração de um inquérito civil enviado à Embraer e à Boeing com recomendação de que apresentassem garantias de que os empregos permaneceriam no Brasil. Como as empresas responderam que não dariam tal garantia, o MPT recomendou à União que exigisse a manutenção dos empregos da Embraer no país, mas recebeu resposta de que a preservação dos empregos na empresa não preocupa o governo federal. A Justiça do Trabalho indeferiu o pedido do MPT por considerar o exercício da Golden Share (que permitiria o veto ao negócio) discricionário.

População brasileira começará a encolher a partir de 2048. Segundo um novo estudo do IBGE, o número de habitantes chegará a 233,2 milhões em 2047 e então iniciará uma curva descendente, caindo para 228,3 milhões em 2060. Bahia, Piauí e Rio Grande do Sul serão os primeiros estados a apresentar queda, enquanto Santa Catarina, Amazonas e Goiás não deverão apresentar nenhuma redução até 2060. No mesmo estudo, o IBGE aponta que, em 2039, o país terá mais pessoas idosas (com 65 anos ou mais) do que crianças (abaixo de 14 anos). Hoje, a população chega a aproximadamente 208 milhões, com idade média de 32,6 anos.

Processos na Justiça do Trabalho caem pelo sétimo mês seguido. A diminuição do volume de ações manteve o ritmo anual em junho, marcando queda de 35,9% em comparação com o mesmo mês de 2017. No ano passado, sem a reforma trabalhista, a média de processos foi de 225,6 mil por mês. Já em 2018, com sete meses de nova regra, a média dos novos processos abertos na Justiça do Trabalho caiu para 137,9 mil até junho. Os dados são do Tribunal Superior do Trabalho (TST) e foram obtidos com exclusividade pelo Estadão/Broadcast.

Adesão ao consumo consciente cresce no Brasil. A pesquisa Panorama do Consumo Consciente no Brasil, apresentada pelo Instituto Akatu nesta quarta-feira, mostra que o número de brasileiros que incorporam mais de cinco práticas sustentáveis no seu dia a dia aumentou. Em 2012, eram 32% dos entrevistados, e, agora, são 38%. Segundo a pesquisa, 24% dos mais conscientes têm mais de 65 anos, 52% são das classes A e B (renda entre R$ 5,4 mil e R$ 23,3 mil) e 40% têm ensino superior. O estudo também mostra que entre as oito principais causas que incentivam a compra de um produto de determinada marca, cinco estão ligadas a atitudes da empresa: combater o trabalho infantil; tratar funcionários sem discriminação; incluir pessoas com deficiência; contribuir para o bem-estar da comunidade; e oferecer boas condições de trabalho.

Ideia do dia: você reconhece a diferença entre popularidade e influência? A primeira tem a ver com o quanto as pessoas gostam de você; a segunda indica o quanto elas estão dispostas a ouvir a sua opinião. Muita gente se preocupa em aumentar sua popularidade, porque os resultados são mais visíveis, explica Juliana Saldanha, especialista em branding pessoal. Porém, o esforço para ser visto como alguém simpático não substitui a busca por estabelecer uma influência verdadeira sobre seus pares, gestores e subordinados.
Personal branding não tem a ver com a conquista da popularidade ou da visibilidade imediata. Tem a ver com a conquista de influência (…), pelo que você tem a oferecer para o mercado (…) Quantas pessoas pararam para te ouvir/ler ou (...) o referenciaram como alguém relevante no seu contexto de atuação?”
#BoletimDiário.

Comentários