Impactos da Inovação na Indústria

A produção industrial teve alta de 2,8% em fevereiro deste ano, diante fevereiro de 2017. Foi a mais elevada para o mês desde 2014. Neste cenário, a indústria tinha registrado expansão de 4,8%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que, no entanto, afirma que a recuperação da indústria se mantém em ritmo lento.

Vale lembrar que o setor industrial teve alta de 0,2% na comparação, depois do recuo de 2,2% em janeiro. Além disso, o setor industrial marca alta de 4,3% no acumulado no ano. Isto é, o melhor resultado para um 1º bimestre desde 2011.

Igualmente, a produção de bens duráveis cresceu 1,7% em fevereiro, diante do mês anterior. Também levou o avanço de 0,2% da indústria brasileira no período. Tratando-se da produção de bens duráveis, os destaques foram eletrodomésticos da linha marrom, motocicletas e mobiliário, afirmou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 
Neste quadro, a inovação, certamente, impacta o desenvolvimento das indústrias. Ações disruptivas, que quebram paradigmas, com razão, influenciam positivamente o setor industrial.

Neste sentido, segundo o jornal Diário do Comércio, Indústria & Serviços (DCI), o Ministério da Fazenda teria proposto à Câmara de Comércio Exterior (Camex) uma diminuição das tarifas de importação de produtos dos setores de bens de capital e de informática. Isto para que se aproximem da média global nos anos seguintes, afirmou o secretário da Secretaria de Assuntos Internacionais do Ministério da Fazenda, Marcelo Estevão Filho.

A redução dos tributos dos setores de bens de capital e informática, além de favorecer a importação, também possibilita a integração global do País e a abertura da economia brasileira, conforme o secretário. 

Vista Aérea, Computador, Recepção

Diante disto, vale indicar que a Superintendência de Seguros Privados (Susep) criou comissão para tratar da inovação nos negócios do mercado. Outro aspecto inerente ao caso se trata da decisão da Justiça, que suspende norma da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), para facilitar importação de medicamentos.

Finalmente, medicamentos inovadores, que, em última instância, favorecem o bem-estar físico e psíquico dos pacientes, primando por sua Saúde, devem ter sua importação facilitada. Assim, neste segmento da Saúde, a Susep permite que tais medicamentos, justamente por serem inovadores, possam ser protegidos por Seguros. Nestes casos raros, o preço muda conforme o risco que a Seguradora vai ter ao assumir a apólice. Mas, independente disso, ante as necessidades dos pacientes, o uso de tais medicamentos de fato merecem cobertura das Seguradoras.


Comentários