Boletim - principais notícias | Economia, Negócios & Investimentos - 25/01/2018

Principais notícias


Planalto | Investir no Brasil promove crescimento para o País e para investidores, diz Temer

Jornal do Brasil | Tesouro Direto registra recorde de investimento com R$ 19,438 bi

Jornal do Brasil | Intenção de investir em próprio negócio aumenta entre os empresários, diz SPC

Correio Braziliense | Brasil atrai investimentos e se torna referência em energias renováveis

Correio Braziliense | "Investidor quer saber em qual Brasil investir", diz presidente da Anfavea


Bolsa De Valores, Lucros, Boom
Pixabay

Comentários

O pior da crise econômica já passou. Em Davos, o presidente Temer articula e promove a economia brasileira. Apesar das incertezas políticas e da crise moral, de fato obtivemos a reforma trabalhista e a reforma da previdência, se tudo der certo, irá ocorrer no início deste ano de 2018.

O Brasil tem crescimento econômico, sem deixar de se preocupar com o meio-ambiente. O emprego de novas tecnologias permite o desenvolvimento econômico sustentável do País.

Nesse cenário, os investimentos em Tesouro Direto têm alta, com mais investidores aplicando na modalidade financeira, o que denota a confiança na Saúde econômica do País.

Em paralelo, em tempos mais incertos, porém com melhoras, aumentam os investimentos pelos empreendedores em negócios próprios. Já dizia o ditado... enquanto uns choram outros vendem lenços. Lembro de novo também da máxima oriental de que na crise há a oportunidade.

Além disso, ocorrem investimentos em energias renováveis. Realmente, o Brasil tem grande potencial energético, não só de combustíveis fósseis, mas também de fontes limpas de energia, que devem de fato ser aproveitadas.

Igualmente, para se investir no País, deve-se investir em infraestrutura, em logística, em educação. Não só as estradas devem receber atenção, mas também a malha ferroviária e portos e aeroportos. As universidades devem realizar pesquisas voltadas para o setor privado. Os incentivos fiscais concedidos às empresas devem se vincular a contraprestações filantrópicas, com foco no benefício social, por meio da promoção de cultura e conhecimentos vinculada às camadas mais necessitadas da sociedade. Não devem, assim, ocorrer os benefícios para "os amigos do rei".

 Olhos na China. O País é um grande investidor no Brasil. Mas não seria bom dependermos exclusivamente dos chineses. Seria preciso diversificar os investidores, mantendo relações com outros parceiros econômicos.

Conheça... LinkedIn Group - Conexão Empresário.
AVISO: Esta análise tem por finalidade apenas informar nosso posicionamento diante dos cenários econômico e financeiro. NÃO tem por finalidade sugerir a alteração de carteira ou levar o investidor a decidir de fato que decisão tomar no mercado de ações ou de investimentos.

ANALISTA: Nicholas Merlone. Mestre em Direito Político e Econômico pelo Mackenzie (distinção). Foi integrante do grupo de pesquisa Estado e Economia (2012 - 2016) na mesma instituição. Empreendedor & Articulista. Advogado Empresarial e Social. Autor dos artigos: "Bolsa de Valores ao alcance de todos (pessoas e empresas)"; Cenário Brasileiro Econômico & Negócios para 2018 em Perspectiva.

Comentários